Insulto de quem pra quem

Insulto de quem pra quem

Insultos de quem, pra quem?

 

No encontro de ontem conversamos sobre situações em que nos sentimos insultados.

Essa sensação de alguém falou algo e veio como uma flecha no estômago; essa sensação de se sentir injustiçado.

E que dói mais quanto mais próximo o agressor é da gente.

Pode ser que estamos dando poder demais a ele; ou porque gostaríamos de ser admirados e o comentário chegou às avessas.

Seja qual for a explicação, com certeza, é uma situação para “ralar”  ego, ou seja, para “ralar” a importância que pensamos ter.

A reação de treinamento é Ação de Poder, treinar manter a estabilidade frente às situações. Difícil …mas dá para treinar, reforçando a estabilidade – qualidade do elemento terra:

manter-se imóvel, sem reação, como uma montanha por pelo menos 3 minutos, não responder e reconhecer que a opinião do outro é do outro; pode ser um comentário que procede ou apenas “uma boca falando”… se tivesse comentado em japonês não ia doer nada.

“se a gente não aceita o presente que alguém está dando, volta para ele” …..conta o conto.

Agora deixando o “coitadinho de mim” de lado:

e quando somos nós que jogamos em alguém o insulto através de palavras, olhares, ações ou gestos?

Você se lembra de algum episódio?

……..

Lembra como estava teu estado mental nesse momento?

Eu me lembro de várias situações e em todas eu estava “num escuro”….de raiva, apegada a minhas crenças, insegura, ameaçada, preguiçosa, invejosa …..mergulhada nas minhas sombras.

Então ….não existem culpados e inocentes, apenas seres humanos  imperfeitos tentando ser felizes.

Vamos nos tratar com compaixão uns aos outros e a nós mesmos. Apenas isso.