Você é doador?

Você é doador?

 

 

Na última semana uma amiga médica comentou no encontro semanal que cientistas em Israel conseguiram construir coração em impressora 3D com tecido humano.

https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/04/15/coracao-e-impresso-em-3d-a-partir-de-tecido-humano.ghtml

Essa conquista deve no futuro ajudar a diminuir a fila de espera por um coração para ser transplantado.

Assim, também, outros órgãos terão o mesmo “destino”.

Mas enquanto não chega esse tempo é bom refletir sobre a possibilidade da doação de órgãos.

Como o planejamento faz parte do sucesso dos projetos, pensar no projeto da morte é uma garantia.

Já que não há menor dúvida se vamos morrer, onde, quando e como é bom deixar planejado antecipadamente o que a gente deseja que seja feito com nossos pertences; e o corpo é um desses pertences.

Ouvi na entrevista da Maria Bethania que ela tem aflição de pensar em bichinhos caminhando por seu corpo depois de morto….mas…. que diferença faz?

Perguntei sobre doação de órgãos para Lama Michel na visão budista e sua resposta:

O benefício que essa doação proporciona é imenso e oferece muitos méritos; mas como todas as escolhas, essa decisão deve partir conscientemente da motivação de beneficiar quem vai receber, dar alívio, doar incondicionalmente.

Quando é dito que oferece méritos, na verdade é porque no momento dessa decisão a mente deve estar num estado altruísta, solidário. A condição é não querer ser importante, apenas UTIL.

A possibilidade da cremação é bom também pensar antecipadamente de forma altruísta; pensar em quem vai ser responsável pelas obrigações do enterro, quanto, onde, como etc

É bom refletir e, como todas as decisões de após morte, deixar por escrito e registrado.

Você conhece Testamento Vital? Também é bem útil! A declaração antecipada de vontade, também chamada testamento vital ou diretrizes antecipadas, é um conjunto de instruções e vontades apresentadas por uma pessoa especificando que tratamento deseja … Wikipédia

Na internet há várias orientações.

É bom poder decidir o que vai ser feito quando não for mais possível falar…