Se os afetos se transformarem ...

Se os afetos se transformarem em desafetos

 

 

Imagine, apenas imagine, que você está tendo dificuldades com alguém que você gosta.

Ou, alguém que você gosta está tendo dificuldades com você.

Pode ser mãe, pai, irmão, irmã, vizinho(a), marido ou esposa, amante, professor(a), chefe etc

Imagine esse ser “especial” sem o papel que cumpre na tua vida, sem a identidade com a qual você se relaciona com ele.

Imagine esse ser simplesmente como um ser humano sem vínculos com você; um ser que sente medo, raiva, ciúme, inveja, culpa, vergonha, complexos etc

Um ser exatamente com os mesmos sentimentos que você, a mesma vontade de sentir feliz, o mesmo medo de sofrer.

Pensar no outro apenas como uma pessoa real, exatamente como você pode abrir teu coração e te inspirar como resolver a situação.

Como falar com essa pessoa, ou não falar.

Como encontrar essa pessoa ou se afastar dela.

Caso decida falar ou se encontrar, tente 3 vezes.

Primeira vez, para demonstrar teu interesse; a segunda para confirmar teu interesse, a terceira para devolver a responsabilidade.

Depois dê um tempo…e siga tua vida.