Menos drama é frieza?

Menos drama é frieza?

Menos drama é frieza?

 

Nesta semana perguntaram no encontro se a visão budista não deixa a gente “meio” fria…

A visão budista me ajudou a entender e praticar que para entender o outro no mundo dele preciso evitar me misturar nas histórias e não me deixar arrastar por elas.

Entendo que frieza é a gente ficar insensível, sem interesse; como se a questão do outro não me dissesse respeito. Entendo que esse é um comportamento egoísta, autocentrado, individualista.

Outro dia ouvi no supermercado: “para que você vai colocar os produtos caídos na prateleira se não é paga para isso?”

Então…se todos pensarem assim, o repositor vai usar o tempo para reorganizar os rastos dos desleixados ao invés de colocar produtos que estão faltando – seremos nós os próprios prejudicados.

O caminho budista incentiva o interesse para beneficiar os outros. Para isso é preciso estar atento, querer ouvir e descobrir meios adequados para auxiliar ou pelo menos para não prejudicar mais ainda.

Sair das bolhas para observar sem se misturar é um meio que promove a lucidez: olhar de fora.

Quando nos misturamos nos problemas perdemos a visão mais ampla para entender o que envolve a dificuldade; daí para oferecer uma solução equivocada é um pulo.

Esse olhar muito quente, beira o drama, à crítica, à vingança, à fuga etc.

Respondendo à pergunta: o olhar budista é totalmente interessado, sem medo de se envolver e na disposição total de oferecer a mão para tirar o outro do buraco.