Aprendizados

Aprendizados

Aprendizados

 

Durante esta semana ouvi Giselle Bundchen comentar o livro que escreveu sobre sua biografia.

Um dos temas foi o período que sofreu síndrome do pânico e como escapou desse terror através da meditação.

Quem já passou sabe como essas sensações devastadoras cegam a realidade.

A vida se transforma numa ameaça e a coragem desaparece; não é mais possível confiar em si mesmo para encontrar soluções.

Existe o caminho dos medicamentos e mais ouros caminhos complementares.

Durante os 4 anos que vivi nessa prisão, dos 30 aos 34 anos, esqueci até de meditar na urgência de criar artimanhas para driblar o sofrimento do pânico e esconder minha “fraqueza”.

Numa tarde indo buscar meus filhos no colégio devidamente acompanhada, passei pelo parque Ibirapuera e no meio das arvores parecia ter visto o rosto de uma das avós que rezava com fervor e lembrei….tinha me afastado das práticas de meditação iniciadas aos 14 anos.

Retornei a elas e me reencontrei; reencontrei a coragem e as situações aflitivas foram aparecendo no tamanho real.

Na aflição de atender aos pedidos de mãe de 3 filhos e esposa de um marido complicado eu tinha me perdido de mim.

Começava aí uma novíssima fase, repleta de encontros, descobertas e aprendizados.

O mergulho através da meditação é intenso.

A cada dia entendo um pouco mais de mim mesma e da vida; no silêncio da meditação encontro a liberação.

Desejo fortemente que você tenha essa experiência de bondade consigo mesmo(a).